Hospital Vera Cruz - Quando e onde procurar ajuda

Quando e onde procurar ajuda

28 Oct - Promoção da saúde

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o índice de autoextermínio tem uma forte correlação com os países de baixa e média renda. Tal situação nos aponta para um grande problema de saúde pública atual, estando o Brasil na oitava posição do ranking mundial. Atualmente, nos causa total estranheza o fato da taxa de suicídio aumentar mais que as taxas de homicídios no trânsito.

Para Silva et al (2018), o suicídio pode ser entendido como a uma deficiência ou excesso de interação do indivíduo com o meio, não descartando fatores psicológicos, biológicos, culturais etc. Sendo possível enxergar o suicídio como um fenômeno social que obedece a padrões ou regularidades.

O aumento da taxa de suicídio ocorre em momentos de crise financeiras-econômicas ou industriais em que ocasiona uma elevação na taxa de desemprego, desta forma, é possível estabelecer uma correlação entre renda/crescimento econômico x suicídio.

Conforme Azevedo & Matos (2013), pessoas com ideação suicida geralmente apresentam um sinal de sofrimento emocional grave podendo levar às tentativas ou ao suicídio consumado. A ideação suicida tem apresentado suas origens à psicopatologia da infância e da adolescência, e apontando como fatores importantes a diferença de gênero e o comportamento depressivo.

Beck (2011) relata que o índice de depressão é comprovadamente mais propenso em mulheres e também é a principal causa de invalidez no mundo. Mesmo a depressão sendo uma doença milenar algumas de suas causas ainda estão sendo pesquisadas, mas podemos destacar algumas características comportamentais das pessoas:

  • ·       perda de apetite e de interesse dentre aspectos emocionais, cognitivos, motivacionais, físicos e vegetativos;
  • ·         humor deprimido;
  • ·         sentimentos negativos em relação a si próprio;
  • ·         Redução da satisfação;
  • ·         Perda dos vínculos emocionais;
  • ·         Crises de choro;
  • ·         Autoavaliação negativa;
  • ·         Indecisão;
  • ·         Paralisia da Vontade;
  • ·         Distorção da imagem corporal;
  • ·         Desejo de evitação, escapismo e retraimento;
  • ·         Desejos suicidas, dentre outros.

Importante: De acordo com o breve relato acima é possível destacar a importância de se ter uma vida saudável e equilibrada evitando o autodiagnostico. Apenas um profissional da saúde habilitado poderá diagnosticar a doença através de testes psicológicos ou anamnese.

Ana Maria Lopes Santos – Psicóloga - CRP 04/51130

Referências Bibliográficas:

SILVA, B. F. A. et al. O Suicidio no Brasil Contemporaneo. Revista Sociedade e Estado – Vol.33, no. 2, 2018.

AZEVEDO, Andreia; Matos, Ana Paula. Ideação Suicida e Sintomatologia Depressiva em Adolescentes. Psicologia, Saúde & Doenças (SPPS), 2014.

BECK, Aaron T.; ALFORD, Brad A. Depressão Causas e tratamentos. Porto Alegre: Artmed Editora, 2ª. Edição. 2011.